sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

A Carta de Dutra

Companheiro Senador Tião Viana;

Manifesto através desta, irrestrita solidariedade a sua candidatura à Presidência do Senado Federal e do Congresso Nacional, luta legítima e necessária para o Brasil, o Poder Legislativo e o PT. Desejo-lhe êxito e vitória para fazer avançar as conquistas democráticas em nosso País.

As eleições da Câmara e do Senado não são temas apenas de natureza interna e corporativa. Elas interessam ao conjunto da sociedade brasileira, pois seu resultado poderá travar ou avançar a democracia e a cidadania em nosso País, com reflexos nos países emergentes.

Não há democracia sem parlamento forte, livre, dinâmico, altivo e renovado. Nos últimos tempos a Câmara e Senado têm alimentado disputas intestinas que têm diminuído ainda mais a rebaixada credibilidade do Legislativo diante da sociedade brasileira. A devolução da MP das filantrópicas pelo Senado após a provação pela Câmara e a recusa da Câmara em promulgar a Emenda Constitucional dos vereadores, modificada no Senado, são exemplos recentes deste conflito.

O descompasso entre Câmara e Senado também se reflete na composição e eleição de suas Mesas Diretoras: quando uma avança em termos éticos e políticos a outra desanda.

A Câmara sangrou em 2005, com Severino Cavalcante, que renunciou, acusado de receber propina de um dono de restaurante, passando por uma difícil transição com Aldo Rabelo para uma gestão austera de Arlindo Chinaglia.

O Senado sangrou em 2007 com Renan Calheiros, que também renunciou no episódio da Mônica Veloso e ainda atravessa uma transição conturbada com o Senador Garibaldi Alves, cujo caminho natural deveria ser a escolha de um Presidente que caminhe na direção da renovação, da honradez, da elevação política e ética do Senado e do Congresso Nacional, condições que V. Exª possui.

Infelizmente estamos novamente diante de uma ameaça de avanços na Câmara e retrocessos no Senado, que se concretizado, radicalizará as disputas entre as duas Casas, com reflexos negativos para o Legislativo perante a opinião pública.

Na Câmara, o Deputado Michel Temer, PMDB, tem amplas condições de vencer com o apoio do PT, o qual avançará nas prerrogativas, na autonomia, dinâmica e altivez do Legislativo.

Já o Senado, continuará sangrando, sofrerá desgaste perante a opinião pública, alimentará ainda mais as disputas com a Câmara e retrocederá no tempo e no espaço político caso o Senador José Sarney seja eleito seu Presidente.

O Senador José Sarney tem 55 anos de mandatos no Executivo e no Legislativo, sendo 02 vezes Deputado Federal; Governador do Maranhão, Vice-Presidente e Presidente da República, 02 vezes Presidente do Senado e do Congresso Nacional e 05 vezes Senador, as 03 últimas pelo Amapá, Território elevado à condição de Estado por sua inspiração quando era Presidente da República, justamente para lhe servir de abrigo, sendo sabedor que pelo Maranhão não teria mais chance de ser eleito.

A sociedade haverá e com razão de se questionar: qual é a renovação política que o Brasil experimenta, e em especial o Congresso Nacional com Sarney novamente Presidente do Senado?

A sociedade terá ainda direito de se questionar: qual a arma secreta e o poder invisível que possui o Senador Sarney, capaz de derrotar um Senador do PT, encurralar o governo e seduzir os democratas do Brasil, após servir os militares, presidir a Arena e o PDS; ampliar o seu mandato de 4 para 5 anos em troca de canais de TV e rádio e deixar o País com a maior inflação da história?

A sociedade haverá de se perguntar: quais interesses estão movendo um político com 79 anos, a ponto de fazê-lo mudar de idéia após negar por três vezes ao Presidente da República que não seria candidato, imitando o Apostolo Pedro que também por três vezes negou Cristo antes de traí-lo?

Senador Tião Viana,

Não são os interesses da Nação que fazem o Senador Jose Sarney fazer esta tramóia com o PT e o Presidente LULA: são apenas os seus interesses pessoais e políticos, dos quais enumero alguns:

* O Senador Sarney quer a Presidência do Senado para constranger e pressionar os Ministros do Tribunal Superior Eleitoral a cassar o Governador do Maranhão, Jackson Lago e dar de presente à sua filha, Senadora Roseana, o Governo do Estado que ela não conseguiu nas urnas.

O Senador José Sarney sempre tratou o Maranhão como se fosse sua fazenda e o povo maranhense como seu gado, mantendo-o durante décadas como um grande curral eleitoral. Em 2006 o Senador foi derrotado nas urnas. Desde então o mesmo move céus e terra para recuperar o território perdido, manobrando, manipulando, fazendo terrorismo na mídia e pressionando a Justiça eleitoral para lhe garantir o poder que o povo lhe sonegou no voto. O Senador Sarney precisa cassar o Governador Jackson Lago para se desforrar da derrota política de 2006, mas, sobretudo como única forma de recuperar em 2010 o poder pedido nas eleições de 2006.

Sabe o chefe da oligarquia, que se Jackson Lago permanecer no Governo, em 2010 o seu grupo será derrotado de uma vez por todas, já que terá dificuldades até de ter candidato a governador.

Nas eleições municipais passadas o seu grupo político teve apenas 30% dos votos no estado e na recente eleição da Federação dos Municípios o seu candidato sofreu fragorosa derrota para o candidato apoiado pelos prefeitos e partidos que sustentam o Governo Jackson.

* O Senador José Sarney quer a Presidência do Senado para continuar fazendo o jogo duplo que sempre pautou a sua vida política: de um lado para tentar influir no processo eleitoral e em um futuro governo comandado pela Ministra Dilma, caso a conjuntura aponte que a mesma tenha condições de ser eleita. Por outro lado, a Presidência do Senado será uma excelente ponte para o Senador atravessar em direção à candidatura do PSDB, já que em seus 55 anos de vida pública jamais ficou longe de quem se sentou na cadeira de Presidente da República. Se por ventura Bin Laden assumisse a Presidência do Brasil, lá estaria Sarney sentado à sua direita.

* Uma vez eleito Presidente do Congresso Nacional, o Senador Sarney pressionará e constrangerá autoridades federais para impedir e paralisar investigações de seus familiares, conforme tem noticiado a imprensa nacional.

* O Senador Sarney usará a força do cargo para manter e obter mais espaço no Governo Lula em Brasília, no Amapá o no Maranhão, bem como, para continuar perseguindo seus desafetos políticos. Como pequeno exemplo, basta olhar no Maranhão em que o Senador controla 50 dos 56 cargos federais e disputa até direção de parque ambiental, como é o caso do Município de Barreirinhas.

* O Senador Sarney quer a Presidência do Senado para satisfazer sua vaidade pessoal. Como ele assumiu a Presidência da República por via indireta, como vice de Tancredo após a estranha morte deste, Sarney, deseja, embora por um dia que seja, exercer a Presidência da República pela segunda vez em plena democracia, nem que para isto tenha que dar um jeitinho do Presidente da Câmara se ausentar também do País durante viagens internacionais do Presidente Lula.

Por fim, o controle da Câmara e do Senado por um único partido, será um mal perigoso para a nascente democracia brasileira, uma pressão muito forte sobre o Presidente Lula, significará enorme desprestígio ao PT, pois embora sendo o partido do Presidente da República não terá relevância em nenhuma das Casas Legislativas e será uma grande armadilha para eleições de 2010, na medida em que um PMDB forte, poderá ir de malas e cuias para candidatura do PSDB.

Como petista, parlamentar e principalmente brasileiro, manifesto a minha solidariedade a sua bravura, a sua história pessoal e política, desejando êxito em sua luta, em nome da democracia brasileira, de um Congresso livre, altivo e renovado e em defesa do PT, do Governo do Presidente Lula e de todos que desejam um País livre e justo.

Tenho certeza que você não desistirá, seguirá em frente e vencerá, honrando lutadores como Chico Mendes, Santos Dias, Margarida Alves, Luis Carlos Prestes, Nelson Mandela, Martin Luther King, Marina Silva e tantos outros que não se dobraram diante dos desafios e dos poderosos.

Até a vitória! Justiça se Faz na Luta!


Domingos Dutra, Deputado Federal – PT/MA.

Um comentário:

RAFAEL disse...

Que pena que nosso apoio não conseguiu derrubar as forças deste senhor semifeudal.